• Admin

3º Encontro Nacional de Contadores de Histórias na Pinacoteca Benedicto Calixto


Programação gratuita contará com apresentações, oficinas formativas e leituras. Com o objetivo de promover um encontro para reflexão, criação, trocas de experiências e ação cultural voltada para a arte de contar histórias, será realizado de 22 a 24 de novembro, em Santos, com entrada gratuita, o 3º Encontro de Contadores de Histórias do Projeto Pólen. O principal objetivo do projeto é oferecer ao público diferentes situações envolvendo a narração de histórias que possam inspirar ações educativas, culturais e que evidenciem a importância da palavra e do convívio nos dias atuais. O Encontro é estruturado de maneira a oferecer aos participantes oficinas e encontros que visam a aprendizagem e aperfeiçoamento da arte de contar histórias, um espaço para a discussão de questões fundamentais a respeito do papel do contador de histórias e apresentações culturais mostrando as diferentes maneiras de se narrar histórias. Durante o Terceiro Encontro também acontecerá a outorga do prêmio Maryse Dalmaso ao escritor pesquisador baiano Marco Haurélio. Este prêmio foi criado pela Associação Eduardo Furkini e é um reconhecimento às pessoas que durante sua vida se dedicaram a educar utilizando como ferramenta a narração de histórias. Todas as atividades são gratuitas, respeitando a lotação dos locais de apresentação e número de vagas para as oficinas. A abertura acontece na sexta-feira, 22 de novembro, a partir das 19h, no Salão Nobre da Pinacoteca Benedicto Calixto (Av. Bartolomeu de Gusmão, 15, Boqueirão). O cerimonial contará com Claudia Gonçalves, Presidente do Instituto Cultural Vasco Carmano e Rafael Leal, Secretário de Cultura de Santos. Em seguida, encontro com o autor Joaquim Maria Botelho e lançamento do livro de sua autoria “Lá Dentro”. Para encerrar a noite, palestra “Como as histórias entraram na minha história”​ com a Professora , Escritora e Contadora de Histórias,​ Andréa Souza. ​Terceiro Encontro de Contadores de Histórias do Projeto Pólen Tema: Contar para Educar – Um panorama sobre a importância da narração ontem e hoje. Curadoria: Alexandre Camilo e Camila Genaro. Realização: Instituto Cultural Vasco Carmano Gonçalves. Produção Executiva: Criando Ideias e Soluções Artísticas Ltda. Coordenação: Cláudia Gonçalves e Simone Santiago. Apoio Cultural: Araquarela, Associação Eduardo Furkini; Associação Viva e Deixe Viver, Hotel Ibis, Pinacoteca Benedicto Calixto; Secretaria de Cultura de Santos; Xis Design. Site: projetopolen.org.br ​ ​ Quadro 1. Programação do Terceiro Encontro de Contadores de Histórias do Projeto Pólen - “Contar para Educar – Um panorama sobre a importância da narração ontem e hoje” 22.11 19h às 21h30 Salão Nobre ​ Abertura Claudia Gonçalves, Presidente do I.C.V.C., e Rafael Leal, Secretário de Cultura de Santos saúdam o público. A seguir Lenice Gomes apresenta Contar para Inspirar - 10 anos de Palavra – Cia Palavras Andarilhas, do Recife com histórias e parlendas. Na sequência haverá o bate-papo com o jornalista, ensaísta e escritor Joaquim Maria Botelho Contar para Educar – A Experiência de Conviver com Ruth Guimarães e suas Histórias. Em seguida, lançamento e sessão de autógrafos do livro Lá Dentro. Grátis 23.11 ​​10h às 13h Salão Nobre ​ Oficina Brincando a Gente Aprende Instrutor: Lenice Gomes Inscrições pelo e-mail: contato@icvc.org.br Vagas limitadas Ingresso: um livro usado em bom estado para o Projeto Livro Livre ​ 14h às 21h ​ Feira de Livros ​ 14h às 17h Espaço Cultural Oficina Voluntários Contadores de Histórias na Saúde e na Educação- Uma vivência com o jogo “Eu Conto” Instrutor: Luciana dos Santos Bernardo, da Associação Viva e Deixe Viver Ingresso: um livro usado em bom estado para o Projeto Livro Livre ​ 19h às 19h30 Salão Nobre ​ Coquetel de Entrega do prêmio Maryse Dalmaso ao escritor Marco Haurélio. ​ 19h30 às 21h Salão Nobre ​ Roda de Conversa “Contar para Educar – Um panorama da sobre a importância da narração ontem e hoje – Vozes da Tradição” com Marco Haurélio, Lucélia Borges, Alexandre Camilo, Camila Genaro e convidados. ​ ​ 24.11 10h às 13h Salão Nobre Oficina Ruth Guimarães, Artesã da Palavra Instrutor: Daniel D’Andrea Vagas limitadas Ingresso: um livro usado em bom estado para o Projeto Livro Livre ​ 14h às 17h ​ Feira de Livros 15 h às 16h ​ ​ “Como as histórias entraram na minha história” Palestra com a Professora, Escritora e Contadora de Histórias Andréa Souza Grátis  ​ 16h ​ Encerramento Romaria das Histórias com a Associação dos Amigos das Histórias, de Brasília/DF Grátis ​ ​ Curadoria Alexandre Camilo Ator, diretor teatral, contador de histórias, educador, autor de diversos espetáculos teatrais e de contação de histórias, performances temáticas e de livros infantis e adultos. Desde criança é encantado com a palavra e pelo seu poder transformador. Logo no início de sua carreira se interessou pelo teatro aplicado à educação e também pela narração de histórias. Aprofundou os estudos da arte de contar histórias com grandes mestres, estudou também PNL. É o fundador da Cia de Teatro Era Uma Vez... e da Creative Storytelling School. Idealizou e coordenou em 2010 o Projeto Presente Cultural, que levou os espetáculos de contação de histórias Recontando e Invenção de Palavra para mais de 5 mil alunos e professores de escolas públicas. Idealizou e coordena os Projetos Semeando Histórias e Ação do Coração, da Associação Eduardo Furkini. No Projeto Semeando Histórias voluntários levam a contação de histórias a casas de repouso, creches, escolas e hospitais. Já a Ação do Coração é uma Campanha que todos os anos reúne milhares de pessoas no dia 02 de agosto para trocarem corações simbolizando bons sentimentos. Além dos corações são arrecadadas toneladas de alimentos, roupas e brinquedos para comunidades carentes. É o idealizador e curador do Projeto Pólen de Incentivo à Leitura, iniciado em 2008 pelo I.C.V.C. Este Projeto reúne atividades de incentivo à leitura e fomenta o Encontro de Contadores de Histórias do Projeto Pólen, que em 2019 está em sua terceira edição (cocuradoria com Camila Genaro). Camilo viaja por todo o Brasil em apresentações teatrais, de contação de histórias e também ministrando cursos, oficinas e palestras. ​ Camila Genaro Contadora de Histórias, educadora, apresentadora de TV. Camila é Acadêmica-Patrona da cadeira 18 da Academia Brasileira de Contadores de Histórias (ABCH). Participa do Coletivo Línguas Encantadas e Encantantes de São Paulo, que reúne outros narradores com objetivo de fortalecer a arte da tradição oral. Na Baixada Santista, apresento o programa de TV Caixa Surpresa – com Camila Genaro e faz eventos em bibliotecas, livrarias, festas, escolas públicas e particulares e entidades filantrópicas. Além de ser orientadora do Curso Livre de Contação de Histórias A Arte da Narrativa e da Oficina O objeto contador de História – A importância do objeto na arte da narrativa. Pelo Brasil e pelo mundo faz apresentações em Feiras de Livros, Encontros Nacionais e Internacionais de Contadores de Histórias. É cocuradora do Segundo e do Terceiro Encontro de Contadores de Histórias do Projeto Pólen. ​ Sinopses das Oficinas Oficina Brincando a Gente Aprende UNA, DUNA, TENA, CATENA – BRINCANDO COM AS PALAVRAS Instrutor: Lenice Gomes Data: 23.11.2019 Horário: 10h às 13h Local: Pinacoteca Benedicto Calixto – Salão Nobre Inscrições pelo e-mail: contato@icvc.org.br Vagas limitadas Ingresso: um livro usado em bom estado para o Projeto Livro Livre ​ Oficina Voluntários Contadores de Histórias na Saúde e na Educação - Uma vivência com o jogo “Eu Conto!” Neste encontro será contextualizado a experiência da Associação Viva e Deixe Viver na formação de voluntários contadores de histórias que atuam em cidades de vários estados do país e será realizada uma vivência com o premiado jogo de cartas “Eu Conto!”, desenvolvido pela equipe da Associação. Instrutor: Luciana dos Santos Bernardo, da Associação Viva e Deixe Viver Data: 23.11.2019 Horário: 14h às 17h Local: Pinacoteca Benedicto Calixto – Espaço Cultural Ingresso: um livro usado em bom estado para o Projeto Livro Livre ​ Oficina Ruth Guimarães, Artesã da Palavra Esta oficina pretende dar a conhecer para o grande público a obra da escritora e folclorista Ruth Guimarães, que desenvolveu inúmeras atividades, tendo como eixo principal a palavra seja como poeta, contadora de histórias, romancista, tradutora, jornalista, docente, ensaísta e outras atividades ao longo dos seus 93 anos. Esse trabalho visa focalizar, no repertório da autora, as narrativas de características facilitadoras para ser contadas e incluindo um trabalho de contextualização de gêneros literários e orais abordados por nossa homenageada e para, finalmente, mergulhar no significado dos seus contos explorando as grandes possibilidades que oferecem suas histórias para serem desdobradas em projetos pedagógicos, literários e culturais. Instrutor: Daniel D’Andrea Data: 24.11.2019 Horário: 10h às 13h Local: Pinacoteca Benedicto Calixto – Salão Nobre Vagas limitadas Ingresso: um livro usado em bom estado para o Projeto Livro Livre ​ Convidados Andréa Souza Escritora, com quatro livros publicados, cordelista, palestrante, é professora de pós-graduação nos cursos Linguagens da Infância, do Centro Universitário Ítalo Brasileiro em São Paulo e A Arte de Contar Histórias, da Faculdade do Distrito Federal e Associação Amigos das Histórias, em Brasília. É formadora de educadores infantis no Brasil pela Fundação ABRINQ e Coordenadora Geral do Centro Cultural de Santo Amaro, em São Paulo. Conta histórias em todo lugar. Faz questão de ocupar espaços pouco “concorridos” como cemitérios, barcos, maternidades, asilos e prisões. ​ Daniel D’Andrea Arte educador social, pesquisador das narrativas de tradição oral, formador de docentes na importância da arte de contar histórias, estuda os contadores populares, suas técnicas e repertórios. Defende a importância da prática de narrar cotidianamente no âmbito familiar e comunitário, enfatizando os significados culturais e vinculares da prática, assim como fortalecer a riqueza e capilaridade desta prática ancestral, ressignificada nos tempos contemporâneos, pela valorização das trajetórias de vida e memória dos grupos comunitários, e promoção dos valores humanos. ​ Joaquim Maria Botelho Jornalista, mestre em Crítica Literária, escritor e palestrante. Trabalhou em revistas, jornal, emissoras de televisão, sempre no âmbito do jornalismo e comunicação. Foi professor da Universidade de Taubaté e presidente da União Brasileira dos Escritores por três mandatos. É autor de diversos livros e vive a mais de 40 anos de contar histórias de gente que enfrentou o inusitado, ou mesmo que passou a existência dentro do comum e do cotidiano repetido, lá fora. ​ Lenice Gomes Lenice Gomes nasceu em Jupi, no agreste pernambucano. É bacharela em história, com especialização em literatura infantil e juvenil, tornou-se escritora e contadora de histórias, dedicando-se também à pesquisa da cultura popular. Ministra cursos, oficinas e palestras, além de coordenar projetos de leitura no interior de Pernambuco. É autora de mais de 40 títulos infanto-juvenis, produção iniciada em 1993 com “Viva Eu, Viva Tu, Viva o Rabo do Tatu”. Em 2004 dois livros de sua autoria entraram para o Acervo Básico da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil “Quando Eu Digo Digo Digo” e “O Tempo Perguntou pro Tempo” e um terceiro “Brincando Adivinhas” recebeu o selo​ Altamente Recomendável, da FNLIJ e Menção Honrosa do Prêmio Jabuti na categoria de Ilustração de Livro Infantil e Juvenil. É fundadora e coordena junto com Clenira Melo a Cia. Palavras Andarilhas e é a curadora do projeto Noite de Histórias, na cidade do Recife. ​ Lucélia Borges Contadora de histórias, produtora cultural, artesã, ilustradora e xilogravadora. Formou-se em Letras/Inglês pela UNEB-BA, é mestranda no programa de Estudos Culturais- EACH/USP. Foi idealizadora e curadora do projeto No Sopro da Cultura, realizado em Serra do Ramalho - Bahia, apoiado pela FUNARTE. É secretária-geral do Instituto Leandro Gomes de Barros. É uma das idealizadoras do projeto “Cordel, a Poesia Encantada do Sertão”, aprovado pela SECULT/BA. Pesquisa as manifestações da Cultura Popular: oralidade, dança e folguedos. Luciana dos Santos Bernardo Publicitária formada pela FAAP e pós-graduada pela ESPM em Comunicação com o Mercado. É voluntária e membro do Conselho da Associação Viva e Deixe Viver desde 2005, quando iniciou seus trabalhos no Terceiro Setor. Representou a Viva internacionalmente entre os anos 2005-2007 como voluntária do UVA Children’s Hospital e em seu retorno ao Brasil presidiu a Associação por três anos. ​ Marco Haurélio Marco Haurélio nasceu em 1974 em Ponta da Serra, na época município de Riacho de Santana, sertão baiano. Poeta popular, professor, folclorista e editor, muito cedo tomou contato com a literatura de cordel, tendo escrito sua primeira história aos seis anos e adquirido intimidade desde a infância com a cultura sertaneja, quando conheceu, graças ao convívio com sua avó paterna, vários contos populares. É uma referência na literatura de cordel, gênero no qual publicou boa parte de sua obra; autor de livros infantis e juvenis além de coletâneas de histórias tradicionais como Contos e fábulas do Brasil e Vozes da Tradição. Radicado em São Paulo desde 1997, é um dos fundadores da Caravana do Cordel, movimento ativo na cena paulista. Formado em Letras pela UNEB, viaja o país proferindo palestras e ministrando oficinas sobre o cordel e temas relativos à cultura popular brasileira. ​ William Reis Músico, contador de histórias, atual Presidente da Associação Amigos das Histórias e administrador do curso de Pós-Graduação A Arte de Contar Histórias, em três Estados (MG, GO e DF), apresentador do programa Amigos das Histórias, no canal 12 da NET_TV Comunitária DF e coordenador executivo do programa Bibi, Vem Histórias Aí, da Rádio Nacional, de Brasília/DF. William já foi membro do Conselho de Cultura de Taguatinga/DF e é o idealizador de eventos literários como Caravana de Histórias e do evento em homenagem ao Dia Internacional do Contador de Histórias realizado todos os anos em, em Brasília/DF. ​ ​ ​ ​ Associação Amigos das Histórias A Associação nasceu do encontro entre William Reis, fundador e atual presidente da entidade, e Maristela Papa que na época já era contadora de histórias. O interesse comum levou à ideia de convocar outros contadores e se organizarem e desde então a Associação Amigos das Histórias vem, ao longo dos seus 21 anos de atuação, promovendo saraus, mostras, maratonas, oficinas e mesas de debates sobre a narração de histórias e o reconhecimento da profissão. Desde 2010 a Associação Amigos das Histórias realiza em Brasília, um Encontro em comemoração ao Dia Internacional do Contador de Histórias. São quatro dias de intensa programação e troca de experiências entre contadores de histórias de diferentes regiões do país e do exterior. Além disso, promove juntamente com o Grupo Gwaya Contadores de Histórias/UFG e Grupo Ciranda dos Contos/Seduce de Goiás - Poranduba - Contadores de Histórias /MG - Línguas Encantadas e Encantantes/SP o Circuito Nacional de Romarias das Histórias, que tem como objetivo incentivar a presença e a participação da população de diferentes Estados Brasileiros, em momentos e movimentos culturais em que o livro, a leitura, a literatura e a contação de histórias se tornam o foco da ação cultural. A Associação Amigo das Histórias foi agraciada com os prêmios: I Prêmio Culturas populares - 2017 FAC/DF, Troféu Jubileu de prata Grupo Gwaya-Universidade Federal do Goiás - 2018 e com Troféu Baobá- Prefeitura de São Paulo - 2018. ​ Associação Viva e Deixe Viver Foi criada em agosto de 1997 e é formada por voluntários – em sua maioria contadores de histórias – que prestam seu serviço voluntário gratuitamente. A Associação reúne mais de mil voluntários atuantes e está presente em hospitais de São Paulo e de outros Estados e cidades do país. Desde 1997 a Associação Viva e Deixe Viver virou modelo para outras iniciativas sociais, principalmente ONGs ligadas a crianças e adolescentes. ​ Cia Palavras Andarilhas A Cia Palavras Andarilhas é um Movimento literário e teatral, idealizado pela pernambucana Lenice Gomes que em 2019 chega aos seus dez anos de atuação unida pelo encantamento de promover histórias. Em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco, que cede o Teatro Joaquim Cardozo, em Recife, a Cia uma vez por mês realiza a Noite de Histórias com contação de histórias temática. Cada noite é uma surpresa, que os organizadores só divulgam próximo a data de realização do evento. Além disso, sob a curadoria de Lenice Gomes e Clenira Melo a Cia participa de eventos como feiras e festivais celebrando as histórias e a cultura popular. ​ Projeto Pólen de Incentivo à Leitura O Pólen é um projeto de incentivo à leitura cujo principal objetivo é oferecer ao público situações que possam inspirar ações educativas, culturais e que evidenciem, a partir da narração de histórias, a importância da palavra e do convívio. Por meio do Encontro de Contadores de Histórias do Projeto Pólen, que em 2019 terá a sua terceira edição, são fomentadas a troca de experiências, a reflexão e a discussão de questões fundamentais a respeito do papel do contador de histórias. As discussões e trocas enriquecem as apresentações culturais gratuitas que paralelamente são oferecidas ao público, mostrando as diferentes facetas da narração de histórias. ​

#agendasantos #agendacultural #contadordehistórias #santos #crianças #infantil #kids #lúdico #educação #literatura

8 visualizações
Agenda Santos
 
 
 Santos SP - Brasil
 
turismoemsantos@gmail.com
 
 
13 9 9772-5008

© 2020 by LF.

 

  • LinkedIn Clean
  • Tumblr Clean
  • Pinterest Clean
  • Twitter Clean
  • facebook